6 de janeiro de 2016

QUATRO NOVOS ELEMENTOS NA TABELA PERIÓDICA

A União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC, na sigla em inglês) confirmou a descoberta dos elementos 113, 115, 117 e 118, que agora conquistaram lugares permanentes na tabela periódica.

Esses elementos não são encontrados na natureza – são sintéticos e só podem ser produzidos em laboratório.

Como decaem em questão de segundos, sua existência tem sido extremamente difícil de confirmar. Até o momento, eles tinham nomes, símbolos e lugares temporários na sétima linha da tabela periódica, porque os cientistas não tinham conseguido criá-los mais do que apenas uma vez.

113, 115 (Veja aqui: EXISTÊNCIA DO NOVO ELEMENTO 115 CONFIRMADO POR PESQUISADORES) , 117 e 118 podem respirar aliviados, no entanto. Depois de analisar provas suficientes, a IUPAC decidiu que eles merecem uma cadeira cativa na tabela.
Novos nomes

A equipe de Kosuke Morita, do Instituto RIKEN, no Japão, foi creditada com a descoberta do elemento 113, o que significa que eles ganharam os direitos de nomeação também. Até agora, o elemento era conhecido por seu nome temporário, unúntrio, e pelo símbolo temporário Uut.

Os três elementos restantes, 115, 117 e 118, foram confirmados por uma equipe de pesquisadores americanos e russos, que serão convidados a propor nomes e símbolos permanentes. Eles eram temporariamente conhecidos como ununpêntio (Uup), ununséptio (Uus) e ununóctio (Uuo).

Enquanto relatórios sobre a confirmação dos elementos 115, 117 e 118 ainda precisam ser publicados, detalhes da descoberta do elemento 113 foram relatados na revista científica Journal of Physical Society of Japan.

De acordo com a IUPAC, os novos elementos podem ser nomeados após um conceito mitológico, um mineral, um lugar ou país, uma propriedade ou um cientista, e serão apresentados para análise do público cinco meses antes de uma decisão final sobre suas designações oficiais.

A confirmação do 113

Em 2003, os pesquisadores começaram a bombardear uma fina camada de bismuto com íons de zinco viajando a cerca de 10% da velocidade da luz. Segundo a teoria, a reação deveria produzir ocasionalmente um átomo do elemento 113.

Em 2004 e 2005, a equipe viu sinais de dúbnio-262 (elemento 105), que se acredita ser o produto de decaimento do elemento 113, mas isso não foi prova suficiente da sua existência.

Então, o grupo realizou um novo experimento, no qual um feixe de sódio colidiu com um alvo de cúrio, criando bóhrio-266 e dúbnio-262. Com esta demonstração, uma reivindicação mais forte foi estabelecida. Os pesquisadores só precisavam esperar para ver um átomo decair através da cadeia alfa, ao invés de fissão espontânea.

Não foi até 2012 que a equipe conseguiu isso, e levou mais quase quatro anos para a IUPAC analisar a literatura científica e confirmar os critérios para a descoberta de elementos.

“Agora que temos demonstrado conclusivamente a existência de elemento 113”, disse Morita, “pretendemos olhar para o território inexplorado do elemento 119 e além, com o objetivo de examinar as propriedades químicas dos elementos nas sétima e oitava linhas da tabela periódica, e um dia descobrir a Ilha de Estabilidade”

Referência
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!