29 de agosto de 2014

ELETROMAGNETISMO-A UNIFICAÇÃO DA ELETRICIDADE E MAGNETISMO

Desde a Grécia antiga que os fenômenos sobre a eletricidade e magnetismo detêm a atenção da humanidade. Com o passar dos séculos muitos estudos e teorias foram sendo acumuladas quando no início do século XVII, as primeiras conclusões com caráter científico sobre assuntos ligados ao eletromagnetismoforam sendo anunciadas, como os trabalhos de William Gilbert (1544 – 1603), que em seu livro “Sobre os ímãs, os corpos magnéticos e o grande imã terrestre” explicou o porquê de a bússola sempre apontar para o norte.

Definição de eletromagnetismo

Eletromagnetismo | A unificação da eletricidade e magnetismo
Na Física, eletromagnetismo é como é chamada a teoria unificada desenvolvida por James Maxwell para explicar a relação entre a eletricidade e o magnetismo. Esta teoria baseia-se no conceito de campo eletromagnético.

O campo magnético é resultado do movimento de cargas elétricas, ou seja, é resultado de corrente elétrica. O campo magnético pode resultar em uma força eletromagnética quando associada a ímãs.A variação do fluxo magnético resulta em um campo elétrico (fenômeno conhecido por indução eletromagnética, mecanismo utilizado em geradores elétricos, motores e transformadores de tensão). Semelhantemente, a variação de um campo elétrico gera um campo magnético. Devido a essa interdependência entre campo elétrico e campo magnético, faz sentido falar em uma única entidade chamada campo eletromagnético.

A unificação da eletricidade e do magnetismo

Na imagem vemos o um circuito de Oersted, que demonstra princípios do eletromagnetismo

Entre 1820 e 1830 Faraday e Ampere mostraram que a eletricidade e o magnetismo eram dois aspectos de uma única força – o eletromagnetismo.

Tal interação é muito importante porque é responsável por qualquer ligação química, e se aplica até aos fenômenos de impulsos nervosos, e, por isso e outros aspectos é chamada de “força da vida”. Vale ressaltar que o eletromagnetismo está relacionado ao movimento da carga elétrica, e ao primeiro movimento de um elétron é possível encontrar uma força magnética que não se aferia anterior a tal movimentação da carga. Essa força pode ser facilmente detectada com o uso de uma agulha magnética (bussola) posta próxima do elétron que se move. Tal experimentação foi feita por Oersted que constatou ser verídico esse fenômeno. Este experimento pode ser visto esquematicamente imagem ao lado.

Os séculos XVII, XVIII e XIX podem ser considerados os séculos “dourados” do eletromagnetismo, e isso é devido aos trabalhos de cientistas como Ampère, Georg Simon Ohm (1789 – 1854), Faraday, e muitos outros que contribuirão para a consolidação do eletromagnetismo.
Trabalhos de Ampère e Faraday no eletromagnetismo

Entusiasmado depois de assistir uma apresentação do físico dinamarquês Oersted, onde este apresentara um trabalho que era resultado de uma experiência feita por ele, o então jovem físico Ampère iniciou várias experimentações que reafirmaram aquilo que Oersted já havia mostrado e ainda descreveu uma lei que regia o fenômeno observado.

O trabalho de Ampère foi semelhante ao de Oersted, e os primeiros resultados tratados por ele referiam-se a intensidade magnética entre dois fios retilíneos dispostos em paralelos.

Mais tarde Ampère anunciou o resultado mais significativo de seu trabalho, dizendo que a intensidade da circulação magnética nas redondezas de um fio é proporcional à intensidade da corrente elétrica total que o atravessa.

A conclusão de Faraday

Em um experimento o cientista Michael Faraday enrolou 70 m de fio de cobre sobre um pedaço de madeira e colocou um galvanômetro no circuito. Fez a mesma coisa em outro fio, porém neste ele inseriu uma bateria. O resultado a princípio mostrou-se bastante frustrante, pois a corrente estacionaria que percorria o segundo circuito não afetava o galvanômetro que estava ligado ao primeiro. Mas algo lhe chamou a atenção, pois quando a corrente que percorria o segundo circuito era cessada havia registro no galvanômetro ligado ao primeiro circuito, e o mesmo efeito era observado quando a corrente era restabelecida no segundo. Logo a conclusão aferida por Faraday foi que a corrente era induzida pela variação do campo magnético.

O uso em larga escala da energia elétrica, que revolucionou toda a sociedade industrial, tornou-se possível graças à descoberta, por Faraday, do fenômeno da indução eletromagnética.

Com essas observações Faraday pode concluir que a indução de uma corrente elétrica dependia apenas da variação do fluxo magnético que passava pelas proximidades de um circuito, e que essa variação poderia ser originada tanto do movimento do gerador do campo magnético permanente quanto do movimento do próprio fio em relação ao ímã.

Consolidação do eletromagnetismo

Com os resultados obtidos por Ampère e Faraday ficou evidente que a eletricidade e o magnetismo possuíam certa equivalência. Então se ambos possuem relações tão intrínsecas, a junção dos mesmos se fez necessária, o que propiciou uma interpretação mais geral e completa dos fenômenos afins. É nesse contexto de unificação da eletricidade e magnetismo que o físico Britânico James Clerk Maxwell[1] em 1861 unificou as leis que regiam tanto a eletricidade quanto o magnetismo, chamando esse conjunto de leis de Eletromagnetismo.

Contudo o eletromagnetismo pode ser resumido em quatro leis – que resultam em quatro equações, as chamadas equações de Maxwell – e que descrevem de maneira geral todos os fenômenos eletromagnéticos.

A primeira lei é conhecida por lei de Gauss (nome decorrente a uma homenagem feita ao matemático e físico alemão Carl Friedrich Gauss (1777- 1855)).

\nabla\,\mathrm{.}\,\vec D\,=\,\rho
A equação acima descreve as relações existentes entre os campos elétricos e as cargas geradoras de tais campos, onde:
  • \nablaé o operador diferencial “nabla”;
  • \vec Dé o deslocamento elétrico;
  • \rhoé a densidade de carga.
A segunda é a “lei de Gauss – magnetismo”, aonde esta afirma, ou seja, o campo magnético é produzido por dipolos que nunca poderão se dissociar de tal forma que sempre estarão presentes o polo norte e o polo sul.
\nabla\,\mathrm{.}\,\vec B\,=\,0
A equação acima representa o fato de que monopolos magnéticos[2] nunca foram observados, onde:
  • \nabla é o operador diferencial “nabla”;
  • \vec D é o vetor campo magnético.
A terceira lei, também chamada de “lei de Faraday” afirma que a variação de um fluxo magnético no decorrer do tempo é capaz de induzir uma corrente elétrica em um fio condutor.\nabla\,\times\,\vec E=\,-\,\frac{\partial\vec B}{\partial t}
A equação acima expressa matematicamente o fenômeno de indução eletromagnética, onde:
  • \nabla  é o operador diferencial “nabla”;
  • \vec D é o vetor campo elétrico;
  • \frac{\partial\vec B}{\partial t} forma infinitesimal da variação do fluxo do campo magnético em um intervalo de tempo.
A quarta lei é a de Ampère, e afirma que um campo magnético pode ser gerado de duas maneiras distintas.
\nabla\,\times\,\vec H\,=\,\vec J+\frac{\partial\vec D}{\partial t}
A equação acima explicita que um campo magnético é gerado tanto por uma corrente elétrica quanto pela variação do campo elétrico em um dado intervalo de tempo, onde:
  • \nabla é o operador diferencial “nabla”;
  • \vec H é o vetor campo magnético indutor;
  • \vec J é a densidade de corrente elétrica;
  • \frac{\partial\vec D}{\partial t} é forma infinitesimal da variação do fluxo de um campo elétrico em um determinado intervalo de tempo.
O olhar criterioso sobre estas leis mostra que o grande feito de Maxwell foi reunir leis já preexistentes que tratavam dos fenômenos elétrico e magnético de maneira separada em apenas uma série elegante de equações que descreve os mesmos fenômenos de maneira única e inter-relacionada, dando então origem ao eletromagnetismo.

Referências e bibliografia
Ciências e Tecnologia
P.A. Tipler, G. Mosca (2008). Physics for Scientists and Engineers: With Modern Physics (6th ed.). W.H. Freeman and Co.
GASPAR, A. Física. Volume único. 1ª edição. São Paulo: Ática, 2005.
NUSSENZVEIG, H. M. Curso de Física básica – Vol. 3. 1ª edição. São Paulo: Blucher, 1997.

28 de agosto de 2014

ENERGIA SOLAR:AGORA SUA JANELA PODERÁ SE TORNAR UM PAINEL SOLAR


Produzir energia limpa é um dos grandes desafios da atualidade. Algumas alternativas, como a energia solar, já existem, mas encontram barreiras como custo de implementação, o que torna seu uso absurdamente caro. Contudo, uma equipe de pesquisadores da Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo tipo de receptor solar que pode resolver esse problema e popularizar a energia solar.
Esse novo receptor consiste em um dispositivo que, quando colocado sobre uma janela onde bata sol, é capaz de captar a luz e transformá-la em energia, sem que a visão através da janela fique obstruída.

Ele é chamado de “concentrador solar luminescente transparente” e pode ser usado em edifícios, aparelhos celulares e qualquer outro dispositivo que tenha uma superfície clara.
Energia solar acessível: um sonho que se realiza?
De acordo com Richard Lunt, da Faculdade de Engenharia da Universidade de Michigan, a palavra-chave que resume a genialidade deste dispositivo é “transparente”.
A pesquisa sobre a produção de energia a partir de células solares colocadas em torno de materiais de plástico do tipo luminescentes não é nova. Estes esforços passados, no entanto, têm rendido resultados ruins, de forma que a produção de energia era ineficiente e os materiais eram altamente coloridos. E isso trás um problema óbvio: ninguém quer ficar sentado perto de um vidro colorido. Isso torna os ambientes cansativos. A comparação que o professor Lunt faz expressa muito bem o problema: seria como trabalhar em uma discoteca. Fica difícil de popularizar uma tecnologia assim, que gera um desconforto tão imediato.
Sabendo disso, os engenheiros trabalharam para resolver esse problema, com o desafio de tornar a própria camada ativa do receptor transparente.
O sistema de recepção e armazenamento de energia solar utiliza pequenas moléculas orgânicas desenvolvidas pelo professor Lunt e sua equipe para absorver comprimentos de onda específicos e não visíveis de luz solar. Segundo eles, os materiais utilizados na fabricação desse dispositivo podem ser ajustados para captar apenas as ondas ultravioletas e outras ondas infravermelhas que tenham comprimentos de onda próximos.
O “espelho” de luz infravermelha é guiado para a extremidade do plástico, onde é convertido em eletricidade por finas tiras de células solares fotovoltaicas. Como os materiais não absorvem ou emitem luz no espectro visível, eles parecem excepcionalmente transparentes ao olho humano, explica o professor Lunt
.

Vantagem

Além de o meio ambiente agradecer (e muito), uma outra vantagem deste novo dispositivo é a sua flexibilidade. Enquanto a tecnologia está em um estágio inicial, ela tem o potencial de ser escalada para aplicações comerciais ou industriais, com um custo acessível.
As possibilidades de implantar um sistema de energia solar de forma não intrusiva agora são muito maiores. Edifícios altos, janelas de qualquer tamanho ou qualquer tipo de dispositivo móvel podem se adaptar a essa ideia.
Futuro

Lunt disse que mais trabalho é necessário a fim de melhorar a eficiência de produção de energia solar. Atualmente, ela é capaz de produzir uma eficiência de conversão de energia solar de cerca de 1%, mas Lunt observou que o grupo pretende atingir eficiência acima de 5% quando a captação estiver totalmente otimizada. O valor ideal de conversão, segundo o professor responsável pelo projeto, é de 7%. [sciencedaily]

Fonte: hypescience

22 de agosto de 2014

ANTIGO CONHECIMENTO CIENTÍFICO, HISTÓRICO, EQUÍVOCOS E MANIPULAÇÃO DE INFORMAÇÕES

O conhecimento é para ser distribuído, então compartilho um documentário fabuloso, rico de informações.
A existência é uma lição.Tudo que acontece nos ensina o que precisávamos saber. Basta observar os detalhes do antes e do depois.
A morte começa no instante em que se desiste de aprender.
Vamos desenvolver os sentidos e a percepção, para continuar ampliando a consciência.





18 de agosto de 2014

INTERRUPÇÃO DE SANGUE-CÉREBRO-BARREIRA COM ALTA FREQUÊNCIA PULSADA COM CAMPOS ELÉTRICOS

A microvasos cortical  corado para a proteína
do sangue-cérebro-barreira.
Uma equipe de pesquisadores da Virginia Tech e Acorde Escola de Engenharia Biomédica e Ciências Forest University desenvolveram uma nova técnica para a utilização de energia elétrica pulsada para abrir a-barreira hematoencefálica (BHE) para o tratamento de câncer no cérebro e distúrbios neurológicos.

Seu procedimento Vascular Ativado pulso Integrado Nanosecond (veia do pulso) consiste na inserção de eletrodos de agulha minimamente invasivos para o tecido doente e aplicar várias rajadas de 850 nanossegundos energia elétrica pulsada com polaridade alternada.

Os investigadores pensam que as rajadas perturbar proteínas de junções apertadas responsáveis ​​por manter a integridade da BHE, mas sem causar danos no tecido circundante.

Esta técnica será descrita na próxima edição da revista TECNOLOGIA .

Tratamento de doenças cerebrais

Para o tratamento de cancro do cérebro, "veia impulsos pode ser aplicada ao mesmo tempo como biopsia ou através da mesma via que a sonda de biópsia, a fim de minimizar os danos ao tecido saudável, limitando o número de inserções de agulha," diz Rafael V. Davalos , Ph.D, diretor do Laboratório de Sistemas Bioelectromechanical na Virginia Tech.

O BBB é uma rede de junções apertadas, que normalmente age para proteger o cérebro de substâncias estranhas, impedindo-os de vazamento de vasos sanguíneos em estruturas neurais. Mas isso também limita a eficácia de medicamentos para tratar doenças cerebrais. Temporariamente abertura da BBB é uma maneira de assegurar que os fármacos podem ainda ser eficaz.
Evidência patológica e ressonância magnética de sangue-cérebro-barreira (BBB) ​​perturbação induzida pela veia (Vascular Ativado Nanosecond Integrado) sistema de geração de pulso. Dois eléctrodos de agulha minimamente invasivas com um milímetro de comprimento activo foram espaçadas de 4,0 milímetros para além e inserido no hemisfério cerebral direito 1,5 milímetros abaixo da superfície da dura-máter. Uma rajada de impulsos 200, 500 ns duração quadrados de polaridade alternada com uma relação de tensão-de-distância de 250 V / cm aplicada através dos eléctrodos. No caso acima, rajadas foram repetidas uma vez por segundo durante 10 min. A extensão de certificação perturbação é mostrado pela linha pontilhada circundante Evans azul-albumina absorção complexa na preparação fatia cerebral bruto (à esquerda) e a correspondente imagem fluorescente (meio). Além disso, as áreas de certificação interrupção aparecer como hiperintensas (branco) no exame de ressonância magnética ponderadas em T1, devido à absorção de um azul tracer gadolínio-Evans. A barra de escala representa 5 milímetros. (Crédito: John H. Rossmeisl Jr., Neurologia e Neurocirurgia, Virginia-Maryland Faculdade de Medicina Veterinária e Escola Regional Forest University Virginia Tech-Wake de Engenharia Biomédica e Ciências).


A pesquisa também mostra que os pulsos da veia pode ser aplicada, sem provocar contracções musculares, o que pode desalojar os eléctrodos e exigem o uso de um neuroblocker e anestesia geral. De acordo com Christopher B. Arena, Ph.D., co-autor principal do artigo, "o fato de que o suplente pulsos de polaridade ajuda a evitar a indesejável movimento, induzido eletricamente. Portanto, pode ser possível realizar este procedimento sem a utilização de um neuroblocker e com pacientes sob sedação consciente. Isto é semelhante à forma como a estimulação cerebral profunda é implementado clinicamente para tratar a doença de Parkinson ".

A equipe agora planeja traduzir a tecnologia em aplicações clínicas através de uma empresa universidade spin-out, VoltMed, Inc.

Pesquisadores da Virginia-Maryland Faculdade de Medicina Veterinária Regional , onde também envolvidos no estudo.

Esta pesquisa foi apoiada em parte por doações do National Science Foundation, o Golfers Contra o Cancro, eo Center for Biomolecular imagem no Wake Forest School of Medicine.

Resumo de Tecnologia papel
A-barreira hematoencefálica (BHE), uma rede de junções apertadas, que impedem o transporte molécula grande, limita a utilidade de entrega sistémica quimioterapêutico para o tratamento de gliomas malignos e outras doenças neurológicas. Aqui, apresentamos uma ferramenta para a certificação perturbação que usa rajadas de sub-microssegundos pulsos bipolares para melhorar a transferência de grandes moléculas para o cérebro. Eléctrodos de agulhas rombas foram avançados no córtex motor de ratos adultos anestesiados, e uma série de 90-900 rajadas foram entregues com voltagem para relações de distância de 250 ou 2000 V / cm, de um total de tempo programado energizado de 100 uS, e um taxa de repetição de 1 Hz. BBB rompimento foi avaliada através de um gadolínio-Evans azul albumina traçador, e foram encontradas todas as condições experimentais para causar a certificação imediatamente após a interrupção do tratamento sem induzir as contrações musculares locais ou distais. A condição de menor energia, 300 rajadas que consistem em 850 ns pulsos bipolares, resultou na interrupção BBB significativa (0,51 centímetros 3 ), sem apresentar lesão necrótica ou apoptótica de tecido neurológico.

13 de agosto de 2014

21 COISAS QUE AS PESSOAS CRIATIVAS FAZEM DIFERENTE DAS OUTRAS

Pessoas criativas pensam e agem de forma diferente que qualquer outra pessoa. Possuem uma maneira própria de enxergar o mundo e de lidar com situações que ocorrem durante sua caminhada.

Acredito que todas as pessoas têm a capacidade de criar, mas algumas se destacam por possuir uma maior facilidade. A lista a seguir mostra um pouco da perspectiva das pessoas criativas e o que elas costumam fazer e como encaram a vida.

1 – Se inspiram nas horas menos esperadas

Eles nunca sabem quando a próxima grande ideia chegará. Ela apenas chegará, da maneira menos esperada e no momento menos esperado.


2 – Eles sonham o tempo inteiro

Ele estão aqui, mas não estão. Eles podem viajar a qualquer momento durante uma conversa. É normal, não fique zangado com eles.
pessoas-criativas-2

3 – Ficam entediados facilmente

Precisam sempre de um estímulo para manterem-se ativos. Eles não irão focar naquilo que não gostam, você pode chamar de TDAH ou qualquer coisa, mas isso é apenas parte de sua genialidade.
pessoas-criativas-3

4 – Enxergam o mundo com os olhos de uma criança

Observar o mundo como uma criança pode ser, muitas vezes, a chave do sucesso.
menina

5 – Eles falharão, mas você pode ter certeza que tentarão novamente

A vida não é fácil para ninguém, nem menos para as pessoas criativas. Falhas e quedas são inevitáveis, mas somos nós que decidimos se seremos derrotados ou se utilizaremos o obstáculo para nos fortalecermos ainda mais. As pessoas criativas também são rejeitadas por diversas vezes, mas apenas tomam isso como lição.
pessoas-criativas-5

6 – Vão seguir seu coração, mesmo que, muitas vezes, sua mente diga o contrário

Dizem que as pessoas criativas são menos propensas a se preocuparem com as coisas e mais propensas a assumirem riscos. Isso pode trazer mil falhas, mas um milhão de satisfações.
pessoas-criativas-6
7 – Eles se perdem no tempo

Quando estão criando, se perdem totalmente, podendo esquecer de comer, de beber e até de dormir. Quanto as ideias estão fluindo em sua mente, nada mais importa para eles.
pessoas-criativas-7

8 – Eles trabalham enquanto você dorme, e dormem enquanto você trabalha

A inspiração vem nos momentos mais inesperados, como foi dito no número 1.
pessoas-criativas-8

9 – Onde a maioria das pessoas vê dificuldade, eles veem oportunidade

Sempre procuram ver o lado bom das coisas e se livram de problemas de maneiras incomuns
pessoas-criativas-9

10 – Eles se apaixonam por suas obras e as odeiam no dia seguinte (e vice-versa)

Às vezes, esse tipo de inconstância acontece sem um motivo realmente definido
pessoas-criativas-10

11 – São humildes e orgulhosos ao mesmo tempo

Apesar de sempre estarem dispostos a aprender, são extremamente orgulhosos e confiantes quando se trata de suas ideias e criações.
pessoas-criativas-11

12 – Estão sempre à procura de novas formas de se expressar

A busca por novidades e ideias é constante. Seja um fotógrafo, pintor, escritor, eles sempre desejarão fazer as outras de outras maneiras.
pessoas-criativas-12


13 – Eles procrastinam

Sim, eles cumprirão os prazos na maioria das vezes, mas boa parte do trabalho será realizada na noite anterior a este prazo.
pessoas-criativas-13

14 – Eles veem o outro lado da moeda

Sempre conseguem enxergar as coisas através de um ponto de vista diferente
pessoas-criativas-14

15 – Não gostam de limites

Regras e limites não são feitos para eles. Muitas das vezes são vistos como rebeldes, e temos exemplos históricos disso.
pessoas-criativas-15

16 – Não gostam de números (Não generalize, pois existem muitas exceções a regra!)

São brilhantes, mas se você pedir para que façam as contas, verá o quanto não gostam dos números
pessoas-criativas-16

17 – São grandes observadores

Observam pessoas e estão atentos até aos mínimos detalhes. Qualquer coisa pode servir de inspiração para eles.
pessoas-criativas-17

18 – Estão sempre fazendo novas experiências

Como foi dito no item 3, precisam sempre ser estimulados. E fugir da rotina é uma excelente escolha para isso.
pessoas-criativas-18
19 – Eles recomeçam tudo de novo

Não importa o quão avançados estão com uma criação, mas se sentirem que não está bom o suficiente, não pensarão duas vezes antes de descartar e começar novamente.


pessoas-criativas-19


20 - Mandam eles arrumarem um emprego “de verdade”

Os familiares e amigos dessas pessoas muitas vezes vão enxergar tudo como uma brincadeira e desejarão que elas desistam dessa “brincadeira”. Mas os criativos sempre seguirão e acreditarão em seus sonhos. (Nossa, eu já ouvi muito isso!)
pessoas-criativas-20

21 – Eles amam

Amam a vida, amam as pessoas, amam os animais, amam a beleza. O seu amor pela vida é contagiante, e se você tem alguns amigos assim, fique com eles. Eles vão fazer sua vida um pouco mais bonita
pessoas-criativas-21
Se você é criativo, com certeza irá se identificar com vários desses itens.

11 de agosto de 2014

A DISTINÇÃO ENTRE PASSADO, PRESENTE E FUTURO É SÓ UMA ILUSÃO

Você sabia que há um lugar onde o tempo não passa igual para todos? E nenhum relógio marca a mesma hora? Pois saiba que ele existe. Nesse lugar tudo está congelado: passado, presente e futuro são a mesma coisa e tudo aconteceu ao mesmo tempo. Nesse lugar, tudo o que aconteceu desde o início do universo até seu fim existe ao mesmo tempo.

O que é futuro para você já está registrado na memória de outro alguém nesse lugar. Para você, seu filho não nasceu... mas para seu irmão, ele já tem dez anos. Ou seja, talvez você nem tenha resolvido se terá filhos ou não, mas você não tem escolha. Daqui a alguns anos, seu filho terá 20. Você já deve ter percebido que a liberdade de poder decidir é uma mera ilusão nesse universo. Podemos tanto decidir o que faremos amanhã quanto uma pedra.
Isso foi descoberto por um alemão em 1905 e inspirou várias teorias surpreendentes, de por no chinelo qualquer obra de ficção. O nome do tal descobridor era Albert Einstein e o lugar a quem nos referimos desde o início é o nosso próprio universo.

- A distinção entre passado, presente e futuro é só uma ilusão, ainda que persistente... - disse Einstein uma vez numa carta em 1955.

Mas não existe algo mais concreto que a passagem do tempo! Nascemos com a consciência de que as horas passam no mesmo ritmo para todas as pessoas, e que viajamos juntos para o futuro. Como isso pode ser uma ilusão?

Vamos complicar sua mente um pouquinho... Segundo Einstein, o tempo é um lugar, uma dimensão onde andamos até morrer. Enquanto você lê essa matéria, o tempo passa, não? Na verdade, você está cruzando o tempo num meio de transporte invisível nesse instante.

Se isso ainda não foi suficiente, saiba que esse meio de transporte é bem rápido, anda numa velocidade de 1,08 bilhão de km/h, a exata velocidade da luz. Einstein também afirmou que o tempo e o espaço são a mesma coisa, que na verdade é chamado de espaço-tempo.

Se você prestou atenção, temos um probleminha. Como você deve saber, nada pode viajar mais rápido que a luz. Mas você já está andando na velocidade da luz, então e se você se levantar agora e ir até a cozinha pegar um copo de água e andar a 5 km/h? Você está ultrapassando a velocidade da luz?

Não, essa velocidade sai de algum lugar, mais precisamente dos motores que empurram o tempo. Imagine que a velocidade do tempo é um banco. Ela empresta um pouco de sua velocidade para todas as coisas que se movem. Mas claro que isso tem um preço: faz seu relógio perder velocidade, ou seja, o tempo anda mais lentamente para você. Aí as coisas ficam mais interessantes...

Exemplo: imagine que esteja sentado em frente à seu computador, você está atravessando o tempo a 1,08 bilhão de km/h. Ou seja, 1 minuto irá passar em 1 minuto mesmo, nada demais. Mas aí em algum universo paralelo você ganhou na loteria e comprou um Bugatti Veryon e decidiu dar uma voltinha com ele à 180 km/h, por exemplo. Aí então você pega emprestado 180 km/h do banco do tempo, e o que acontece? Seu relógio anda mais devagar, seu tempo passa mais lentamente em relação à todos os que estão parados no momento. Um momento que durava exatos 60 segundos passa a durar 59,99999999999952 segundos. O carro está te acelerando, mas está freando seu relógio, entenda bem, o SEU relógio. Nada muda do lado de fora do carro. Após uma hora à 180 km/h, você viajou 0,0000000576 milésimo de segundo para o futuro. Insignificante, não?

Tanta complicação para chegar nisso? Infelizmente (ou não), as velocidades que vivenciamos no nosso cotidiano são extremamente pequenas, sendo insuficiente para realizar algum efeito notável sobre a passagem do tempo. Parece que o crédito de 1,08 bilhão é mais que suficiente...

Mas será que o banco do tempo pode entrar em falência?

Sim, quando a velocidade de um corpo é muito alta. Se uma nave andar a 1 bilhão de km/h, por exemplo, o banco estará quase falindo...

Exemplo: imagine que seu Bugatti pudesse viajar na mesma velocidade da nave. Há um bar na rodovia, e há alguém no bar. De repente, surge um ladrão, que está com uma arma na cara do sujeito. Aí você passa com seu Bugatti na rodovia à 1 bilhão de km/h. Em seu relógio, são 12h15, e quando você passar em frente ao bar não verá o sujeito sendo ameaçado pelo ladrão. Lembre-se que o tempo passou mais devagar para você que estava viajando à 1 bilhão de km/h. Enquanto seu relógio marca 12h15, o relógio do bar marca 12h30! Somente o seu tempo freou. Você viajou para o futuro.

Mas o que você vê em frente ao bar? Você verá algo que, para o homem que está com uma arma na fuça, não foi ainda decidido. O que temos? Um paradoxo. Você e o sujeito vivem o mesmo instante, um momento em que ambos chamam de agora. Mas para ele é futuro algo que já está fixado em sua memória, do seu passado.

A confusão toda ainda não acabou. De acordo com Einstein, enormes distâncias também distorcem a ideia de que haja um agora igual para todos. Ou seja, para alguém numa outra galáxia, o momento em que você lê esse artigo pode ser interpretada como um distante passado.

“A concepção dele sobre o que existe neste momento no Universo pode incluir coisas que parecem completamente abertas para nós, como o vencedor das eleições presidenciais dos EUA de 2100. Os candidatos ainda nem nasceram, mas na ideia dele sobre o que acontece exatamente agora já vai estar o primeiro presidente americano do século 22”, escreveu o físico Brian Greene, da Universidade Columbia, nos EUA, em seu livro The Fabric of the Cosmos (O Tecido do Cosmos).

Então o futuro já aconteceu...

Se essa afirmação é verdadeira, então obviamente não podemos escolher como será nosso dia de amanhã. No universo de Einstein e sua Teoria da Relatividade, não há liberdade de escolha. Tudo está escrito. Nossas escolhas já estão escritas no tecido da realidade.

Bom, já que nada podemos fazer para mudar o futuro, podemos pelo menos prevê-lo? Não. Nada pode computar mais rápido que o universo.

Sir Roger Penrose, da Universidade de Oxford e considerado o maior especialista em Relatividade do planeta, concorda: “Mesmo que o mundo seja completamente determinado, como diz a teoria, ele certamente não é computável”.

E você leitor, o que acha disso tudo? Toda a liberdade de escolha para você comentar abaixo. Ou não..

1 de agosto de 2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!