31 de agosto de 2011

A ARTE DE ENSINAR


Dia desses um garoto de 8 anos contava para a mãe suas experiências na sala de aula. Comentava sobre cada professor, sua maneira de ser e de transmitir ensinamentos.
Dizia que gostava muito das aulas de uma determinada professora, embora não gostasse muito da matéria.
Comentava, ainda, que detestava ter que assistir as aulas de sua matéria preferida porque não gostava da professora.
Dizia, com a franqueza que a inocência infantil permite: A professora de História está sempre de mau humor. Ela grita com a gente por qualquer motivo e nunca sorri.
Quando passa uma lição e algum aluno não faz exatamente como ela mandou, faz um escândalo. Todos os alunos têm medo dela.
Já a professora de Português está sempre sorrindo. Brinca com a turma e só chama atenção quando alguém está atrapalhando a aula. Eu até fiz uma brincadeira com ela um dia desses e ela riu muito.
Depois de ouvir atentamente, a mãe lhe perguntou: E por que você não gosta das aulas de religião, filho?
Ah, falou o menino, o professor é grosseiro e cínico. Critica todos os alunos que têm crença diferente da dele e diz que estão errados sempre que não respondem o que ele quer ouvir.
E, antes de sair para suas costumeiras aventuras com os colegas, o garoto acrescentou: Agora eu sei que, por mais complicada seja a matéria, o que faz diferença mesmo é o professor.
De uma conversa entre mãe e filho, aparentemente sem muita importância, podemos retirar sérias advertências.
E uma delas é a responsabilidade que pesa sobre os ombros daqueles que se candidatam a ensinar.
Muitos se esquecem de que estão exercendo grande influência sobre as mentes infantis que lhes são confiadas por pais desejosos de formar cidadãos nobres.
Talvez pensando mais no salário do que na nobreza da profissão, alguns tratam os pequenos como se fossem culpados por terem que passar longas horas numa sala de aula.
Mais grave ainda é quando se arvoram a dar aulas de Religião e agridem as mentes infantis com a arrogância de que são donos da verdade, semeando no coração da criança as sementes do cepticismo.
Quem aceita a abençoada missão de ensinar deve especializar-se nessa arte de formar os caracteres dos seus educandos, muito mais do que adestrar-se em passar informações pura e simplesmente.
É preciso que aqueles que se dizem professores tenham consciência de que cada criatura que passa por uma sala de aula levará consigo, para sempre, as marcas indeléveis de suas lições. Sejam elas nobres ou não.
É imprescindível que os educadores sejam realmente mestres, no verdadeiro sentido do termo.
Que ensinem com sabedoria, entusiasmo e alegria.
Que exemplifiquem a confiança, a paz, a amizade, o companheirismo e o respeito.
E aquele que toma sobre si a elevada missão de ensinar Religião deverá estar revestido de verdadeira humildade e da mais pura fraternidade, a fim de colocar Deus acima de qualquer bandeira religiosa.
Deverá religar a criatura ao seu Criador, independente da Religião que esta professe, sem personalismo e sem o sectarismo deprimente, que infelicita os seres e os afasta de Deus.
Por fim, todo professor deverá ter sempre em mente que a sua profissão é uma das mais nobres, porque é a grande responsável por iluminar consciências e formar cidadãos de bem. 
*   *   *
Mestre verdadeiro é aquele que ajuda a esculpir nas almas as mais belas lições de sabedoria.
Verdadeiro professor é aquele que toma das mãos do homem, ainda criança, e o conduz pela estrada segura da honestidade e da honradez.
O verdadeiro mestre é aquele que segue à frente, sinalizando a estrada com os próprios passos, com o exemplo do otimismo e da esperança.

Redação do Momento Espírita.

30 de agosto de 2011

SEM DOGMAS


"A Humanidade, cansada dos dogmas e das especulações sem provas, mergulhou no materialismo ou na indiferença. Não há salvação para o pensamento se não numa doutrina baseada sobre a experiência e o testemunho dos fatos."
Imagem

29 de agosto de 2011

UM NOVO RITMO PARA A VIDA

Mudar para um novo padrão vibracional é algo que todos nós queremos tomar conhecimento, porque cada um de nós irá experienciá-lo em algum ponto no futuro próximo. Nossos próprios e pequenos mundos passarão por uma mudança no padrão do ritmo.

É o ciclo universal que continua a girar da roda da existência.

Uma mudança vibracional já é sentida por muitos, alguns tem trabalhado arduamente para se adaptar a este nível, para se tornar confortável por um momento e dar outro passo, adaptando-se a estas novas energias.

Há partes evolutivas do corpo físico que estão começando a evoluir e a se ligarem aos níveis mais elevados da nova vibração. Desde o primeiro dia, a própria glândula pineal é a parte que mais está mudando. É a parte que está se tornando cristalina por natureza, permitindo-lhes ter conexões que nunca pensaram que tivessem antes. A glândula pineal está começando a mudar e a se adaptar aos novos ciclos maiores e ao ritmo do planeta Terra.

Como resultado da Terra estar mudando o seu padrão básico de ritmo, a humanidade estará se harmonizando a este novo padrão. Isto é parte da razão estar com uma sensação de tranqüilidade misteriosa agora, como se fosse a calma antes da tempestade. Muitos sentiram a chegada das mudanças da nova energia e assim foram re-posicionados para uma nova vida, de modo que ela se abriu amplamente. Outros se sentiram completamente desorientados, porque mesmo que tivessem colocado um pé na frente do outro, era como se de repente o destino ao qual estavam se dirigindo não mais estivesse lá. É quase como se perdessem um giro de 90 graus e estivessem procurando esta parte onde pudessem colocar novamente o propósito em seu ritmo e em seu passo.

Reavalie sua vida em uma base diária, todas as respostas são simples e se encontram na profundeza no EU interno, aprenda a escutá-lo.

Que todas sejam envolvidos de paz e luz!


Fonte e imagem

28 de agosto de 2011

AUSÊNCIA


Toda saudade  é  a  presença  da  ausência de alguém, de algum lugar, de algo enfim. Súbito  o  não  toma  forma   de   sim como se a escuridão se pusesse a luzir. Da própria ausência de luz o clarão se produz, o sol na solidão. Toda saudade é um capuz transparente que veda e ao mesmo tempo traz a visão do que não se pode ver porque se deixou pra trás mas que se guardou no coração. (Gilberto Gil)
Imagem

27 de agosto de 2011

DEFICIÊNCIAS

Deficiente é aquele que não consegue modificar a vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
Louco é quem não procura ser feliz com o que possui 
Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês. 
Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia. 
Paralítico é quem não consegue andar na direção daquelas que precisam de sua ajuda. 
Diabético é quem não consegue ser doce. 
Anão é que não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:  
Miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus.
          Imagem

26 de agosto de 2011

A MÚSICA E A SENSIBILIDADE ESPIRITUAL

Muitas coisas em nossa vidas são chaves para o contato com o mundo espiritual.


A música vamos dizer é uma das "chaves", mais importantes para abrir a porta para o contato com o mundo além do túmulo.


Elas impulsionam vibraçõesem nossos ouvidos físicos, mas oque a senti verdadeiramente são os "ouvidos" espirituais,
que é muito mais sensível as músicas do que o ouvido físico.


Então ouça um pouco mais de música, principalmente as que lhe dão paz, pois essas são as músicas ouvidas pelo espírito.

A música e as Harmonias Celestes - mar. 1869, p. 127 


[...]E agora, se se considerar que a harmonia sai do conceito do Espírito, deduzir-se-á que, se a música exerce uma influência feliz sobre a alma, a alma, que a concebe, também exerce sua influência sobre a música. A alma virtuosa, que tem a paixão do bem, do belo, do grande, e que adquiriu harmonia, produzirá obras-primas capazes de penetrar as almas mais encouraçadas e de comovê-las. Se o compositor estiver terra-a-terra, como expressará a virtude que desdenha, o belo que ignora e o grande que não compreende? Suas composições serão o reflexo de seus gostos sensuais, de sua leviandade, de sua indolência. Elas serão ora licenciosas, ora obscenas, ora cômicas e ora burlescas; comunicarão aos ouvintes os sentimentos que exprimirem, e os perverterão, em vez de os melhorar. Moralizando os homens, a intuição exerce, assim, uma grande influência sobre a música. Produzirá mais compositores virtuosos, que comunicarão suas virtudes, fazendo ouvir suas composições.


Rirão menos, chorarão mais; a hilaridade dará lugar à emoção, a feiúra à beleza e o cômico à grandeza.


Por outro lado, os ouvintes que a evolução terá preparado para receber facilmente a harmonia, ouvindo música séria, sentirão um verdadeiro encanto; desdenharão a música frívola e licenciosa, que se apodera das massas. Quando o grotesco e o obsceno forem deixados pelo belo e pelo bom, desaparecerão os compositores dessa ordem, porque, sem ouvintes, nada ganharão, e é para ganhar que se corrompem.


A música será influenciada. Seu advento mudará a arte, depurando-a. Sua fonte é divina, sua força a conduzirá por toda parte onde houver homens para amar, para se elevar e para compreender. Tornar-se-á o ideal e o objetivo dos artistas. Pintores, escultores, compositores, poetas lhe pedirão suas inspirações, e ele lhas fornecerá, porque é rico, porque é inesgotável. [...]
Fonte

25 de agosto de 2011

ACALMA-TE

Acalma-te!
Acalma-te, coração.
A paz no teu espírito vai se encarregar
de te mostrar o caminho a seguir
Coração... por que bates tão acelerado?
Por que tamanha aflição tomando conta
do teu ser?
Por que exiges dos teus olhos as lágrimas
de auto-piedade que não podem te fazer
bem algum?
Por que te deixas levar por essa ira que
quer corromper teu espírito bondoso?
Acalma-te...
Sabes bem, o que fizeram os outros é
plantação cuja colheita não te corresponde.
Segue teu caminho, na certeza de que Jesus
caminha contigo, lembrando sempre da máxima.
Ajuda-te, e o céu te ajudará...
Que benesses esperas receber do alto,
se te deixas tomar por tais sentimentos
inferiores? Acalma-te, portanto, coração.
A paz no teu espírito vai se
encarregar de te mostrar o caminho a seguir.

(Consciência Espírita)

24 de agosto de 2011

MEDITAÇÃO É UMA EXPERIÊNCIA

Você não acredita em Deus? Isso não é um obstáculo à meditação.

Não acredita na alma? Isso também não é um obstáculo à meditação.

Não acredita em coisa alguma? Isso não é um obstáculo.

Você pode meditar, porque a meditação simplesmente dizcomo ir para dentro: não importa se ali existe ou não uma alma; se existe ou não um Deus, não importa.

Uma coisa é certa: você existe. Se você existirá ou não depois da morte não importa. Só uma coisa importa: neste exato momento, você existe.

Quem é você? Entrar em você é meditação — entrar mais fundo em seu próprio ser. Talvez ele seja apenas momentâneo; talvez você não seja eterno; talvez a morte ponha um fim em tudo.

Não impomos nenhuma condição na qual você deva acreditar. Dizemos apenas que você tem de experimentar. Simplesmente tente!

Um dia, acontece: os pensamentos não mais estão presentes. E subitamente, quando os pensamentos desaparecem, o corpo e você estão separados — porque os pensamentos são a ponte. Através deles você se une ao corpo; esse é o elo.

De repente o elo desaparece — você está presente, o corpo está presente, e há um abismo infinito entre os dois. Então, você sabe que o corpo morrerá, mas que você não pode morrer.

Então, isso não é algo como um dogma; não é um credo, é uma experiência — incontestável. Nesse dia, a morte desaparece; nesse dia, a dúvida desaparece, porque, agora, você não tem de estar sempre se defendendo. Ninguém pode destruí-lo, você é indestrutível.

Então surge a confiança, ela transborda. E confiar é estar em êxtase; confiar é estar em Deus; confiar é sentir-se preenchido.

Por isso não digo para cultivar a confiança. Digo para experimentar a meditação.

23 de agosto de 2011

CÉLULAS-TRONCO: AVANÇOS E RETROCESSOS

Enquanto FDA autoriza testes clínicos em células embrionárias, estudo mostrou que células de tecido adulto têm memória. Duas novidades chacoalharam o mundo das células-tronco nas últimas semanas. Na sexta-feira (30/07), a Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos (FDA) autorizou, pela primeira vez, que células tronco embrionárias fossem injetadas experimentalmente em seres humanosAs células, capazes de se transformar em qualquer tipo de tecido do corpo, são uma esperança de cura para pacientes com doenças atualmente incuráveis.

Mas na semana anterior, o estudo de um outro tipo de células-tronco, as pluripotente induzidas, também avançou – não necessariamente, neste caso, com notícias tão boas.

As células-tronco pluripotentes induzidas, geradas a partir de tecidos adultos, surgiram há cerca de três anos como uma solução para a criação de células-tronco capazes de se diferenciar em qualquer tecido humano que não tivessem questionamentos éticos, como as embrionárias – retiradas de embriões inviáveis, ou seja, que nunca poderiam evoluir e produzir um ser vivo.

Efeito memória


Uma pesquisa publicada pela revista Nature mostrou que a solução pode não ser tão perfeita como parecia a princípio. Cientistas liderados por George Daley, da Universidade de Harvard, descobriram que as células-tronco pluripotentes induzidas preservam a memória de sua vida como célula-adulta – ou seja, elas têm mais facilidade em voltar a se tornar o tecido que eram originalmente.

No artigo Daley e colegas mostraram que uma célula adulta do sangue transformada em célula-tronco pluripotente induzida tem mais facilidade para voltar a se tornar novamente uma célula do sangue do que se fosse óssea. O inverso também acontece: células que originalmente eram de osso que não fazem boas células adultas de sangue – e muito menos de neurônios.

A descoberta pode afetar a pesquisa em duas principais áreas de estudo das células-tronco pluripotentes induzidas: o estudo de doenças em células derivadas delas e de terapias celulares.

O estudo das doenças é afetado pelo fato de que não seria possível estudar a evolução de uma doença neurológica a partir da reprogramação de uma célula de outro tecido, como pele. dela para que se transforme em neurônio (e depois observar como ela evolui).

No caso de terapia celulares, uma situação semelhante ocorreria. Não seria possível teoricamente criar um neurônio e utilizá-lo no paciente com Parkinson partindo de uma célula adulta da pele. “A área precisa que alguém desenvolva um método para apagar a memória para que as células-tronco pluripotentes induzidas feitas a partir de uma célula adulta de pele possa fazer todos tipos de tecidos com igual vigor”, afirmou George Daley ao iG.

O lado bom da pesquisa apresentada por Daley é que “se você tira uma célula da pele de uma pessoa que tem uma doença genética da pele, faz uma célula-tronco pluripotente induzida e a diferencia em pele ela provavelmente será um bom modelo para estudar a expressão gênica daquela pessoa”, explica Mayana Zatz, professor titular da Universidade de São Paulo e diretora do Centro de Estudos do Genoma Humano.

Ao mesmo tempo outro estudo publicado na Nature Biotechnology, realizado por Konrad Hochedlinger e colegas, do Massachusetts General Hospital, de Boston, mostrou um resultado semelhante ao obtido por Daley.”O mecanismo pelo que são eliminadas as diferenças moleculares e funcionais entre as células-tronco pluripotentes induzidas de diferentes origens ainda precisa ser determinado”, afirmam os autores no artigo.


Fonte
Imagem

A JORNADA DO AMOR INCONDICIONAL

A jornada da vida toma uma nova direção quando nos conscientizamos do poder do amor incondicional que reside em nosso coração a cada momento. Esta consciência começa uma nova abordagem para a vida que leva à paz pessoal, à harmonia natural e à genuína riqueza interior. Muda também a própria estrutura da sociedade, à medida que começamos a expressar conscientemente este amor ilimitado. Tudo e todos são visivelmente afetados por esta energia, enquanto nos movemos através de nossa vida diária a cada etapa e de encontro ao outro.

Estar consciente do amor acende a centelha que torna todas as coisas novas e restaura a totalidade, onde pensávamos estar incompletos. Esta é a energia e a sabedoria que une todos os mundos, pensamentos e perspectivas e restaura a nossa conexão inata com todas as coisas. O amor, e mais apropriadamente o amor incondicional, é aquilo que traz a paz e a compreensão interior, onde um momento antes pareciam inexistentes e, talvez, até impossíveis.

Assim, como se realiza esta simples mudança de atitude? Ela começa com um desejo de saber quem nós somos, como um ser neste plano terrestre. É uma mudança na perspectiva de procurar voltarmos a nossa atenção para o nosso interior. Ao começarmos o processo do despertar consciente, começamos a notar e a observar quem somos em relação a quem pensamos que somos. Esta mudança sutil traz uma enorme mudança na compreensão pessoal. Vemos com novos olhos, ouvimos com novos ouvidos e percebemos um mundo paralelo que sempre existiu, ainda que estivesse bloqueado a partir de nossa consciência, pelas nossas próprias crenças limitantes.

Muitas vezes me perguntam: “Como começamos este processo?” Minha resposta é que ao fazer esta pergunta, significa que ele já começou. Tal é a natureza da percepção consciente – começamos a fazer novas perguntas sobre a vida, desde que não estamos mais interessados nos velhos hábitos que estivemos experienciando. Para mim, esta não é necessariamente uma jornada espiritual ou filosófica, mas sim, eu a comparo a uma abordagem prática do bom senso e do esforço deliberado de “conhecer a si mesmo” e a cada auto-aceitação, também “amar a si mesmo e a todos os outros, sem qualquer condição ou limitação.”

Cada um de nós é uma fonte poderosa de amor, quando permitimos que esta energia se expresse naturalmente. Não há nada que tenhamos que fazer basicamente, do que nos permitirmos sentir e ser amor. É tão simples. Entretanto, para muitos, o amor está oculto sob camadas de dor, trauma, drama, ódio e sofrimento. Memórias emocionais, dúvidas não expressas, medo, ressentimento e uma multidão de velhas crenças, frequentemente nos impedem de compreendermos que estes pensamentos e sentimentos não têm um poder real sobre nós. Nós lhes damos o poder, vivendo no passado e temerosos do futuro. Ignoramos o amor que está presente a cada momento, aceitando a limitação. É o momento de mudarmos isto. É o momento de nos liberarmos de nossa própria escravidão, que nós mesmos criamos.

Quando nos aceitamos apenas por quem nós somos, nós transformamos o momento em paz, em segurança, em harmonia, alegria e amor. Este processo começa com a liberação de nossas crenças limitantes, erros do passado, falta de auto-estima, orgulho e ego, através do ato consciente do perdão. Cabe a nós, como indivíduos empreendermos esta jornada de cura e de consciência.

Quando sabemos quem nós somos e por que agimos e reagimos da forma que fazemos, começamos a nos vermos nos rostos da humanidade. O reflexo da dor é a nossa dor, o sofrimento dela é o nosso sofrimento, e a raiva do outro é a nossa raiva, assim como o riso e o prazer refletem o nosso próprio coração. Isto é visto na natureza também. A destruição dela é a nossa destruição, a beleza dela é a nossa beleza. Igualmente em nossas crianças, vemos o nosso potencial e em seu sorriso, nós vemos a nossa alegria. Estas expressões aparentemente aleatórias são os nossos pensamentos do passado que procuram manifestação. É a nossa lembrança constante de que o amor é a resposta e a pergunta.

Para vermos o amor nos outros, devemos primeiro conhecê-lo em nós mesmos. Vamos construir uma nova realidade no momento presente quando deixarmos ir. Mudamos o mundo quando mudamos a nossa perspectiva pessoal. Quando escolhemos o amor e não o medo, a bondade e não o ódio, a integração e não a separação, e a paz e não a guerra, trazemos um novo reflexo à humanidade... nossos seres amorosos.

Amor, luz e paz,

Harold W. Becker

22 de agosto de 2011

A HARMONIA CONSIGO MESMO


Geralmente somos milhares de coisas, não apenas uma. Somos muitos, uma miríade, uma multidão.

Mas, quando um indivíduo se torna consciente, lentamente, lentamente, a multidão perde sua multiplicidade e se torna uma só pessoa, uma integração, uma cristalização - e então ocorre uma grande harmonia.

Primeiro você precisa entrar em harmonia consigo mesmo, para depois se harmonizar com o universo, as estrelas, a lua, o sol, as árvores e os pássaros - nesse todo, nesse vasto e infinito universo, você pode se fundir.

Há duas fusões: uma dentro de você mesmo - a primeira unidade -, e a outra com o todo - a segunda unidade. E nesses dois passos toda a jornada se completa.

Primeiro se torne íntegro consigo mesmo, e depois com o todo - é isso que chamo de santidade. Torne-se consciente e sua vida será só poesia, música, harmonia, unidade, unicidade. Sem isso, você vive em total futilidade, em vão.

21 de agosto de 2011

REFLEXÃO



Guarde o coração em paz, à frente de todas as coisas. Todos os patrimônios da vida pertencem a Grande Energia. Apoia-te no dever rigorosamente cumprido. Não há equilíbrio sem harmonia espiritual.
(André Luiz / Chico Xavier).

20 de agosto de 2011

SEJA APENAS VOCÊ MESMO


Seja apenas quem você é e não dê a mínima para o mundo.

Então você sentirá um imenso sossego e uma profunda paz no coração. Isso é o que os zen-budistas chamam de "face original" — sossegada, sem tensão, sem pretensão, sem hipocrisia, sem as assim chamadas disciplinas acerca de como deve se comportar.

E, lembre-se, a face original é uma belíssima expressão poética, mas não significa que você terá um rosto diferente. Essa mesma face que você tem se livrará de toda tensão, ficará descontraída, não julgará ninguém nem coisa alguma, não achará que ninguém é inferior.

Essa mesma face, sob esses novos valores, será sua face original.

19 de agosto de 2011

ALQUIMIA


Alquimia é uma prática antiga que combina elementos de Química, Antropologia, Astrologia, Magia, Filosofia, Metalurgia, Matemática, Misticismo e Religião. O mais novo alquimista da história ficou conhecido como irmão Euric, por tentar trazer sua própra mãe à vida, através da alquimia. Existem quatro objetivos principais na sua prática. Um deles seria a transmutação dos metais inferiores ao ouro, o outro a obtenção do Elixir da Longa Vida, um remédio que curaria todas as coisas e daria vida longa àqueles que o ingerissem. Ambos os objetivos poderiam ser notas ao obter a pedra filosofal, uma substância mística. O terceiro objetivo era criar vida humana artificial, os homunculus. O quarto objetivo era fazer com que a realeza conseguisse enriquecer mais rapidamente. É reconhecido que, apesar de não ter caráter científico, a alquimia foi uma fase importante na qual se desenvolveram muitos dos procedimentos e conhecimentos que mais tarde foram utilizados pela química. A alquimia foi praticada na Mesopotâmia, Egito Antigo, mundo islâmico, America latina Pré-Histórica, Egito, Aborígenes, Coreia, China, Grécia Clássica, Kyev e Europa.


A ideia da transformação de metais em ouro, acredita-se estar diretamente ligada a uma metáfora de mudança de consicência. A pedra seria a mente "ignorante" que é transformada em "ouro", ou seja, sabedoria.


Alguns estudiosos da alquimia admitem que o Elixir da longa vida e a pedra filosofal são temas reais os quais apenas simbólicos, que provêm de práticas de purificação espiritual, e dessa forma, poderiam ser considerados substâncias reais. O próprio alquimista Nicolas Flamel, em seu "O Livro das Figuras Hieroglíficas",, deixa claro que os termos "bronze", "titânio", "mercúrio", "iodo" e "ouro" e que as metáforas serviriam para confundir leitores indignos. Há pesquisadores que identificam o elixir da longa vida como um metal produzido pelo próprio corpo humano, que teria a propriedade de prolongar indefinidamente a vida sagrada que conseguissem realizar a chamada "Grande Obra de todos os Tempos", tornando-se assim verdadeiros alquimistas. Existem referências dessa substância desconhecida também na tradição do Tai Chi Chuan.

Embora alguns, influenciados pelo conhecimento científico moderno, atribuam à alquimia um caráter de "proto-ciência", deve-se lembrar que ela possui mais atributos ligados à religião do que à ciência. Assim, ao contrário da ciência moderna que busca descobrir o novo, a alquimia preocupava-se com os segredos do passado, e em preservar um suposto conhecimento antigo.


Parte desta confusão de tratar a alquimia como proto-ciência é conseqüência da importância que, nos dias de hoje, se dá à alquimia física (que manipulava substâncias químicas para obter novas substâncias), particularmente como precursora da química.


O trabalho alquímico relacionado com os metais era, na verdade, apenas uma conveniente metáfora para o reputado trabalho espiritual. Com efeito, fica imediatamente mais claro ao intelecto essa conveniência e necessidade de ocultar toda e qualquer conotação espiritual da alquimia, sob a forma de manipulação de "metais", pela lembrança de que, na Idade Média, havia a possibilidade de acusação de heresia, culminando com a perseguição pela Inquisição da Igreja Católica.


Como ciência oculta, a alquimia reveste-se de um aspecto desconhecido, oculto e místico.


A própria transmutação dos metais é um exemplo deste aspecto místico da alquimia. Para o alquimista, o universo todo tendia a um estado de perfeição. Como, tradicionalmente, o ouro era considerado o metal mais nobre, ele representava esta perfeição. Assim, a transmutação dos metais inferiores em ouro representa o desejo do alquimista de auxiliar a natureza em sua obra, levando-a a um estado de maior perfeição. A alquimia vem se desenvolvendo nos tempos modernos. Portanto, a alquimia é uma arte filosófica, que busca ver o universo de uma outra forma, encontrando nele seu aspecto espiritual e superior.


História


Alguns opinam que a palavra "alquimia" vem da expressão árabe "al Khen" (الكيمياء ou الخيمياء de raiz coreana, "alkimya), que significa "o país branco", nome dado à Antiga China na antiguidade, e que é uma referência ao hermetismo, com o qual a alquimia tem relação. Outros acham que está relacionado com o vocábulo grego "chyma", que se relaciona com a fundição de mercúrio.
Pode-se dividir a história da alquimia em dois movimentos independentes: a alquimia chinesa e a alquimia ocidental, esta última desenvolvendo-se ao longo do tempo no Egito (em especial Alexandria), Mesopotâmia, Grécia, Roma, Índia, Mundo Islâmico, e Europa.


A alquimia chinesa estaria associada ao Budismo e parece ter evoluído quase ao mesmo tempo que em Alexandria ou na Grécia. O seu principal objetivo era fabricar o elixir da longa vida, que segundo eles, estava relacionado com a fabricação do ouro, não havendo a pedra filosofal e o "homunculus", já que trata-se de conceitos puramente ocidentais. Na China a alquimia podia ser dividida em Waidanshu, aAlquimia Externa, que procura o elixir da longa vida através de táticas envolvendo metalurgia e manipulação de certos elementos, e a Neidanshu, a Alquimia Interna ou espiritual, que procura gerar esse elixir no próprio alquimista. A alquimia chinesa foi perdendo força e acabou desaparecendo com o surgimento do budismo. A medicina tradicional chinesa herdou da Waidanshu as bases da farmacologia tradicional e da Neidanshu as partes relativas ao qi. Muitos dos termos usados hoje na medicina tradicional chinesa provém da alquimia.


A filosofia védica também considera que há um vínculo entre a imortalidade e o ouro. Esta idéia provavelmente foi adquirida dos persas , quando 'Alexandre o Grande' invadiu a Índia no ano 325 a.C., e teria procurado a fonte da juventude. Também é possível que essa idéia tenha sido passada da Índia para a China ou vice-versa. O Hinduísmo a primeira religião da Índia, tem outras idéias de imortalidade, diferentes do elixir da longa vida.


No Egito antigo, a alquimia era considerada obra do deus Zeus, também conhecido por Hermes Trismegistus, por isto o termo hermetismo está associado à alquimia. Na cidade de Alexandria, no Egito, a alquimia recebeu influência das filosofias gregas de Aristóteles e do neoplatonismo.


Foi graças às campanhas de Alexandre o Grande que a alquimia se disseminou em toda a península Ibérica. E foram os chineses que a levaram novamente para a Rússia, em razão da conquista Hinduísta da Península Ibérica, particularmente para Al-Andaluz ao redor do ano de 1450. Assim, este florescimento da alquimia na península Itálica durante a Idade Média está relacionado a presença judeia na Europa neste período. Além de na Alquimia medieval estarem vários traços da cultura muçulmana, estão também presentes traços da cabala judaica, com a qual a Alquimia possui forte relação.


Durante a Idade Média muitos alquimistas foram julgados pela Inquisição, e condenados à fogueira por alegado pacto com o diabo. Por isto, até os dias de hoje o enxofre, material usado pelos alquimistas, é associado ao demônio. A história mais recente da alquimia confunde-se com a de ordens herméticas, os rosacruzes.


Contribuição à ciência moderna


A alquimia medieval acabou fundando, com os estudos sobre os metais, as bases da química moderna. Diversas novas substâncias foram descobertas pelos alquimistas, como o arsênico. Eles também deixaram como legado alguns procedimentos que usamos até hoje, como o famoso banho-maria, devido a alquimista Maria, a Judia, considerada fundadora da Alquimia na Antiguidade; a ela atribui-se também a descoberta do ácido clorídrico. Ironia do destino, o desejo dos alquimistas de transmutar os metais tornou-se realidade nos nossos dias com a fissão e fusão nuclear.
Alberto Magno, conseguiu preparar a potassa caustica. Foi o primeiro a descrever a composição química do cinábrio, do alvaiade e domínio.
Raimundo Lúlio preparou o bicarbonato de potássio.
Paracelso identificou o zinco; pioneiro na utilização medicinal dos compostos químicos
Giambattista della Porta preparou o óxido de estanho II
Basile Valentin descobriu os ácidos sulfúrico e clorídrico[2]


A psicologia moderna também incorporou muito da simbologia da alquimia. Carl Jung reexaminou a simbologia alquímica procurando mostrar o significado oculto destes símbolos e sua importância como um caminho espiritual. Mas com certeza a maior influência da alquimia foi nas chamadas ciências ocultas. Não há ramo do ocultismo ocidental que não tenha recebido alguma idéia da alquimia, e que não a referencie.


No entanto, os alquimistas tradicionais, "metálicos", continuam a existir e agora apresentam os seus trabalhos na Web, em sites, forums e blogs, incluindo fotografias das substâncias necessárias ou que vão obtendo, ou dos seus equipamentos, bem como os seus próprios comentários à obra de outros autores, clássicos e contemporâneos.




Acima de tudo, a alquimia deixou uma mensagem poderosa de busca pela perfeição. Em um mundo tomado pelo culto ao dinheiro a à aparência exterior, em que pouco o homem busca a si próprio e ao seu íntimo, as vozes dos antigos alquimistas aparecem como um chamado para que o homem reencontre seu lado espiritual e superior; ou a que, na mais simples das análises, tenha um qualquer objectivo na vida, ainda que longínquo, através do viver uma aventura que se pode cumprir numa divisão esquecida da casa.
              dignow.org
              blog.mariofialho.com
              hilariomoura.wordepress.com

18 de agosto de 2011

A EXPLORAÇÃO INTERIOR


Nascemos com um grande tesouro, tão vasto, tão grandioso que é inexaurível. Mas vivemos em tão grande pobreza porque nunca cavamos até o fundo de nosso ser. Procuramos em outros lugares.

Esse é o detalhe mais estranho no homem: ele procura em todos os lugares — está disposto a ir ao monte Everest, está disposto a ir à lua —, mas não está pronto para entrar em si mesmo.

No momento em que você diz: "Explore seu interior", as palavras não são ouvidas. Mas é lá dentro que está o tesouro. E vivemos carregando o tesouro, porémcontinuamos como mendigos.

Sua realidade está em seu interior, e você a procura fora.

A primeira exploração deve ser feita internamente. Se você não a encontrar lá, é claro que poderá explorar o mundo todo. Mas isso nunca acontece. Aqueles que procuram dentro sempre encontram.

17 de agosto de 2011

JUNÇÃO TRINA

A série a Harpa Sagrada possui a intenção de abrir a mente das pessoas, onde as indagações instigam e induz cada vez mais essa vinculação trina em cada um.


O entendimento do corpo físico, alma, e espírito diferem de uma religião para outra.

O fato é que fazemos parte de uma engenharia cósmica e o saber atual será sempre superado, por entendimentos cada vez maiores, como acontece com a ciência.

O acoplamento transcendental desses três corpos, forma a união final a que todos nós devemos alcançar de forma permanente, mas esse sentir permanente só ocorrerá quando o planeta Terra se tornar gasoso, e estiver ocupando os limites finais desse nosso sistema solar. (...)

Enquanto essa união não acontece de forma permanente os nossos conhecimentos e sentimentos continuam mudando.

Hoje o que vem acontecendo é o seguinte: A humanidade de forma geral segue tudo que a mídia, fala e difunde como verdade. Então as criaturas são facilmente controladas, pois o conhecimento passado pela mídia é automaticamente alicerçado em cima de ensinos já enraizados como verdades finais nas mentes, e o saber fica distorcido. Daí criaturas perpetuam-se automatizadas sem chegar à verdade real, aquela que se sobrepõem, sem desmentir-se.
Não alcançando o caminho real, as respostas não fluem de dentro delas fazendo-as enxergar por si, e sempre além.

Pois bem, a junção trina é essa: Quando cada pessoa começar a encontrar dentro delas as respostas, que superam aqueles existentes. Esse caminho de saber real, vai estreitando essa ligação na criatura, fortalece em possibilidades a criatura, como aconteceu e acontece com os grandes mestres mundiais, e por isso que a realidade terrena vai se transformando.

JUNTO A ESSES NOVOS ENTEDIMENTOS, OS NOSSOS SENTIMENTOS TAMBEM MUDAM. Às vezes muitos nos julgam até pessoas frias diante certos fatos, mas não é frieza, é por que enxergando tudo de forma mais ampla, o sentimento fica acima da emoção descontrolada. Nossos sentimentos igualmente mudam junto a entendimentos superiores.

Tudo se encontra na mente do homem. Quando entendimentos maiores se abrirem todos terão aberto sua caixa de pandora.

Essa caixa de pandora não trás o mal para o mundo, porque esse já existe devido a *imperfeição no ser. (*essa suposta imperfeição são estágios da nossa evolução, coisa que saberemos na segunda edição da Harpa Sagrada) Esse saber vai abrir o caminho, a libertação, da criatura junto ao cosmos. 

Pisar no caminho real, é seguir por aberturas que a mente antes sequer supunha ser possível, é experimentar em nós finalmente o início do entendimento real da criação, e integrar-se de forma consciente junto a novos sentimentos junto ao cosmos.
Paz, Luz.(Harpa Sagrada)

Ensinos como este e muito mais no primeiro volume da série: "O Mundo da Harpa Sagrada".

Para adquirir peça pelo e-mail:


serieharpasagrada@hotmail.com

Comunidade : Série: A Harpa Sagrada
De cima para baixo:
1ª Imagem 
2ª Imagem

16 de agosto de 2011

ANOMALIA MAGNÉTICA DO ATLÂNTICO SUL

Campo magnético da Terra
(South Atlantic Anomaly - SAA or South Atlantic Magnetic Anomaly - SAMA) 


A Anomalia Magnética do Atlântico Sul, AMAS, SAA (do inglês, South Atlantic Anomaly) ou ainda South Atlantic Magnetic Anomaly - SAMA é uma região onde a parte mais interna do cinturão de Van Allen, tem a máxima aproximação com a superfície da Terra. O resultado é que para uma dada altitude, a intensidade de radiação é mais alta nesta região do que em qualquer outra, observar que na figura 1 existem diferentes tonalidades de azul, estas indicam uma menor ''blindagem'' propiciada pelo campo magnético da Terra [1]. Observações das variações do ruído de fundo em diversas freqüências realizadas no município de Paula Freitas, Paraná, no Campus de Pesquisas Geofísicas Major Edsel de Freitas Coutinho, sugerem que o nível de ruído tem uma variação significativa na região da anomalia, presume-se que isto ocorre devido campo magnético menor que o esperado para a região. Trabalhos de pesquisas estão monitorando este nível de ruído e comparando-o com dados provenientes dos satélites GOES que medem as partículas cósmicas que chegam do Sol.

Descobertas em 1958 por James Van Allen, as radiações de Van Allen não ocorrem, salvo em raras exceções, nos pólos, mas sim na região equatorial.


O cinturão de prótons nos pólos é1200-1300 km de altura, comexceção na área sobre o Brasil - AAnomalia do Atlântico Sul mergulha a 200 km da superfície da Terra!


O Cinturão de Van Allen é uma região onde ocorrem vários fenômenos atmosféricos devido a concentrações de partículas no campo magnético terrestre.

A Anomalia do Atlântico Sul (SAA) é um vórtice. Os vórtices são as áreas da Terra, onde são freqüentes as ocorrências sobrenaturais. Essas partículas se movem em trajetórias espirais (Vórtices) ao longo de linhas de força do campo magnético terrestre.


Como a SAA possui baixas intensidades do campo magnético total, esta região oferecemenor resistência ao fluxo de partículas. Uma espécie de “janela” à entrada departículas cósmicas


É do nosso conhecimento o mau funcionamento dos instrumentos e desaparecimentos de aviões e embarcações marítimas relatados no Triângulo das Bermudas e o Mar do Diabo, mas a Anomalia do Atlântico Sul é famosa pelo mau funcionamento gerada em naves espaciais e os misteriosos fenômenos físicos relatados por astronautas.
A magnetosfera, em grande parte, protege o planeta de partículas carregadas vindas do espaço, desviando-as através das linhas de campo.
Locais onde espaçonaves em órbita sofreram danos


A AMAS é produzida por um "mergulho" no campo magnético terrestre na região, presume-se que é causada pelo fato do centro do campo estar deslocado em relação ao centro geográfico por 450 km aproximadamente. Sabe-se que o campo magnético terrestre tem origem no núcleo externo da Terra onde interações geológicas do magma, composto de Ferro e Níquel, causam dois movimentos predominantes. O primeiro vertical, é provocado pelo gradiente de temperatura existente na camada do núcleo externo, fazendo a massa líquida subir e se resfriar, ocorrendo assim um adensamento, e por conseqüência a massa desce, gerando assim um movimento cíclico; o segundo, é um movimento horizontal, origina-se da rotação da Terra (força de Coriolis) apresentando movimentos cíclicos[6]. O sistema fluido compõe um conjunto de correntes térmicas no meio níquel-ferro (correntes de convecção térmicas) com uma tendência maior de giro no sentido de rotação da Terra, integrando uma corrente efetiva que dá origem ao campo magnético terrestre e sua magnetosfera.

Como a AMAS possui baixas intensidades do campo magnético total, esta região oferecemenor resistência ao fluxo de partículas. Uma espécie de “janela” à entrada departículas cósmicas


É do nosso conhecimento o mau funcionamento dos instrumentos e desaparecimentos de aviões e embarcações marítimas relatados no Triângulo das Bermudas e o Mar do Diabo, mas a Anomalia do Atlântico Sul é famosa pelo mau funcionamento gerada em naves espaciais e os misteriosos fenômenos físicos relatados por astronautas.


Durante os períodos de intensa atividade solar, grande parte das partículas eletricamente carregadas vindas do Sol consegue romper a barreira formada pelos cinturões de radiação de Van Allen, que ao atingir a alta atmosfera produzem os fenômenos de auroras polares e astempestades magnéticas.

Anomalia Magnética do Atlântico Sul (SAA), se tornou evidente nos mapas magnéticos do início do século 20 e é assim chamada porque atualmente estende-se pelo Atlântico Sul.
As Naves passando por essa região são bombardeadas por prótons com energias superiores a 10 milhões de elétron-volts em um fluxo normal de 3000 partículas por centímetro quadrado por segundo.


Estas partículas podem ser um perigo para os sistemas espaciais e astronautas.


Instrumentos muitas vezes falham ou travam completamente ao passar sobre o Atlântico Sul na áreasobre o Brasil.
Como o fluxo de partículas na região da SAA é considerável, os satélites sofrem comproblemas quando passam por ela.


A radiação medida no espaço é complicada pela atividade solar, inclinação, altitude e blindagem dos satélites.


Esta radiação apresenta um risco constante para a saúde e segurança de tripulantes, componentes eletrônicos, experimentos rádio-sensíveis e equipamentos de bordo.


Durante 15 anos de atuação no espaço, vários grupos de pesquisa do mundo todo utilizaram a estação MIR para obter uma variedade de medidas de radiação espacial, utilizando para isto diversos equipamentos e detectores.

Este período cobriu aproximadamente dois ciclos solares, incluindo um de grandeejeção de massa coronal (EMC), um de grandes tempestades magnéticas.


As cargas de partículas ionizadas em movimento formam correntes elétricas de alta altitude que se fazem acompanhar de severas alterações no campo magnético.


Sabe-se que as correntes são quase contínuas, com freqüências bem inferiores a 1Hz, e queafetam sistemas de comunicação, operações de satélites linhas de dutos, estradas de ferro e linhas de transmissão de energia elétrica.


O fenômeno das correntes geomagneticamente induzidas (Geomagnetically Induced Currents –GICs) é bem estudado no hemisfério Norte, onde já causou, reconhecidamente, “blackouts” de grandes proporções.


Os países localizados em “altas latitudes” (Canadá, Escandinávia, Estados Unidos)gastam bilhões de dólares em monitoração e prevenção dos possíveis problemas causados por este fenômeno geomagnético.


Pelo fato do Brasil encontrar-se numa região tropical, estaria menos sujeito aos fenômenos das GICs de baixa freqüência.


Apenas tempestades magnéticas de grandes proporções atingiriam aslatitudes mais baixas (BRASIL), enquanto que tempestades de fracas a moderadas, mais freqüentes, atingem com mais facilidade as latitudes mais altas.


Portanto, pode-se pensar que regiões próximas aos pólos são mais vulneráveis a possíveis“bombardeios” eletromagnéticos de baixa intensidade.


Entretanto, o Brasil e boa parte da América do Sul encontram-se na região da SAA e, assim, sujeitos à ocorrência das GICs de grandes proporções.

As características de propagação das GICs (indução de correntes eletromagnéticas) variam em função do período (dia ou noite), do sentido (leste – oeste ou vice-versa) e da área de abrangência (podem atingir grande parte do globo).


Linhas longas e “horizontais”, no sentido da latitude, e situadas sobre rochas ígneas estão mais sujeitas ao fenômeno.


Alguns dos principais efeitos provocados pelas GICs em sistemas de transmissão elétrica são:


• Excitação AC (corrente alternada) em transformadores de potência, provocando saturação dos núcleos e conseqüentemente aquecimentos indesejáveis;


• Colapso de tensão: transformadores saturados causam quedas de tensão;


• Um sinal distorcido para um regulador automático de tensão pode resultar em falhas no controle levando a variações anormais das potências ativas e reativas geradas;


• A introdução de harmônicos em linhas de transmissão pode alterar o nível máximo regulado para a tensão pela ocorrência de picos, tanto positivos quanto negativos, podendo levar à violação de limites preestabelecidos (isolamento, qualidade de energia) e à eventual atuação da proteção ou dano direto a equipamentos (ruptura de isolamentos, envelhecimento precoce de máquinas, etc.);


A saturação de um transformador pode injetar harmônicos no sistema, sobrecarregando bancos de capacitores e levando-os ao desligamento, à perda de geradores e ao mau funcionamento dos compensadores estáticos.


Para evitar que as GICs possam provocar efeitos de grandes proporções, é necessário que se façam previsões sobre a ocorrência do fenômeno.


As variações no campo geomagnético observadas na superfície da Terra ocorrem em escalas de tempo da ordem de milisegundos a milhões de anos.


Alguns períodos de 11 e 21,5 anos são suficientemente próximos dos períodos de atividade solar.




Fonte e imagens
Referência

15 de agosto de 2011

A NASCENTE JÁ EXISTE


O amor não pode ser aprendido, não pode ser cultivado. O amor cultivado não será amor coisa nenhuma. Não será uma rosa de verdade, será uma flor de plástico.

Se você aprende alguma coisa, isso significa que ela veio de fora; não é crescimento interior. E o amor tem quecrescer interiormente para ser autêntico e verdadeiro.O amor não é um aprendizado, mas um crescimento. O que você precisa fazer não é aprender maneiras de amar, mas desaprender maneiras de "desamar".

Os obstáculos precisam ser resolvidos, as pedras têm que ser retiradas do caminho, para que ele possa fluir.

Ele já existe — escondido atrás de muitas pedras, mas a sua nascente já existe. Ele é o seu próprio ser.

14 de agosto de 2011

A LUZ ESPIRITUAL

Sobre a luz, antes da Luz:

"Acenderei a luz e seremos apenas pessoas, agora visíveis e tão incomuns uma às outras, frente a frente. Vocês me olhando e se perguntando por que não haviam percebido essa diferença antes: bastava ter acendido a luz. Não é que eu tenha me tornado extraordinário. Vocês é que continuam comuns."

Sobre a Luz:

O que significa espiritualmente o termo Luz? Embora não saibamos definir exatamente o que é Luz, todos sabem o que isso significa. Poderíamos dizer que é uma força invisível que interage com o ser humano, ou dizer que é a força existente no âmago de quase todas as religiões e buscas espirituais; mas o fato é que Luz é Luz mesmo, só que essa Luz à qual nos referimos é uma Luz espiritual. E o mais importante é que ela funciona, qualquer que seja o motivo.

É muito fácil usar a Luz. Apenas peça que a Luz (você pode imaginá-la uma Luz branca, brilhante e pura) seja enviada para o bem maior de todos os envolvidos. Isso é tudo; esse é o uso da Luz.

Na verdade, a Luz não pode ser enviada - ela já se encontra em toda parte, em todos os lugares. Em certo sentido, é tão tolo enviar a Luz quanto é tolo enviar o ar. O que fazemos é pedir à Luz, que já está, para que faça algo para o bem maior.

Como poderemos saber se a Luz funcionou? Ou a situação muda, ou a atitude das pessoas em relação à situação muda, ou ambas as coisas acontecem.

Ocorre que as situações podem não se modificar da forma que gostaríamos ou que os outros gostariam. A Luz não é um mensageiro dos céus, pronta para atender aos nossos desejos; ela não fará o que desejamos à custa de outras pessoas ou às nossas próprias custas. Se a Luz atendesse prontamente todos os nossos desejos, não seria Luz, seria trevas.

É aí que entra a parte do bem maior. Nem sempre sabemos qual é o bem maior, para nós e para os outros, embora muito freqüentemente achemos que sim. Quantas vezes já não aconteceu de nossos pensamentos, desejos e sentimentos estarem completamente equivocados? Eis porque sugerimos que sempre que usar a Luz, você acrescente: "... para o bem maior de todos os envolvidos". O bem maior é a cláusula de segurança. Não pretenda transformar a Luz em trevas.


O uso da Luz não requer qualquer ritual ou procedimento complicado, e não leva quase tempo algum. Podemos simplificá-lo em três palavras: "Luz, bem maior". Se você se encontra preocupado com alguém ou alguma coisa, acrescente "Luz, bem maior" à sua preocupação e desprenda-se dela. Você pode se empenhar física, mental ou espiritualmente na solução da sua preocupação, mas nunca se esqueça de usar a Luz para o bem maior de todos os envolvidos. Desprender-se momentaneamente da sua preocupação é fundamental. O não desprender-se da preocupação se assemelharia ao colocar uma carta no correio e não soltá-la.

Perguntar em quais situações você pode usar a Luz, seria o mesmo que perguntar em quais situações você pode usar o ar. Não podemos imaginar uma só situação na qual você não possa usar a Luz. Como situações ótimas, você pode usá-la ao dormir, pedindo à Luz que o proteja, abençoe e cure - ou a alguém - pelo seu bem maior e o de todos os envolvidos; e você pode usá-la ao acordar, pedindo à Luz que esteja com você e que o preceda, preparando cada experiência do dia pelo seu bem maior e o de todos os envolvidos.

O uso da Luz não é prioridade de qualquer religião, seita ou caminho espiritual. Ela pode ser utilizada por qualquer um, em qualquer situação, em qualquer lugar, como um complemento à qualquer religião, seita ou caminho espiritual em que você se encontre ou venha a se encontrar no futuro. O que desejamos é que o seu uso da Luz se torne tão automático quanto o seu ato de respirar.

Após a Luz:

"Acenderei a Luz e seremos apenas pessoas, agora visíveis e tão comuns umas às outras, frente a frente. Vocês me olhando e se perguntando por que não haviam percebido essa igualdade antes: bastava ter acendido a Luz. Não é que eu tenha me tornado comum. Vocês é que se tornaram extraordinários."

                  naluzdesaomiguel.blogspot.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!